quinta-feira, julho 12, 2007

Revell

Papo de velho, sempre começa com "no meu tempo", então acho que estou ficando velho, porque no meu tempo existiam coisas fantasticas, que hoje não existem.
Talvez eu nem esteja ficando tão velho, mas as coisas é que estão mudando tão rápido que o meu tempo já não é mais o tempo atual.
Vejo isso com o video game. Minha geração foi a primeira a ter video-game em casa. E não só em casa, como na TV. Hoje, nossos video-games são como peças jurassicas no meio de graficos de resolução infinita, cores reais e comunicação via Internet, que alias não existia no meu tempo.
Mas porque estou falando de tudo isso ? Porque no meu tempo, existia uma coisa fascinante, chamada REVELL. Revell eram peças em plastico injetado de carros, aviões, motos, barcos, etc.. que depois de montados, colados e pintados se tornavam miniaturas fieis de um modelo real.
Me lembro muito bem do contexto do meu primeiro Revell. Meu pai fez uma viagem a São Paulo e fiquei esperando ele voltar, porque ele sempre me trazia algum presente. Daquela vez foi a caixa, onde se lia REVELL. Era um Brewster Buffalo F2-A. O primeiro de uma imensa coleção que já passou há muito tempo das duzentas peças.
Daquele dia em diante, minha vida mudou. O momento de montar meu kit Revell passou a ser sagrado e o mundo dos chatos ficava do lado de fora - Citando propaganda de época.
Montar um kit Revell exige algumas aptidões, a maioria não natas. Por exemplo, exige preparo, planejamento, paciencia (muita paciencia) e uma visão de detalhes e conjuntos que deve passar por um desenvolvimento arduo.
Me lembro de uma caravela que montei, que levou 1 ano para que eu a considerasse pronta. Todo final de semana me dedicava a algum detalhe de um mundo de cordas, velas, passantes, canhões, etc.. A sensação de dever cumprido ainda mora comigo.
Passei muitos finais de semana me dedicando a montagem. Nunca fui de ir a festas e os kits eram meus companheiros. Me lembro com muito gosto de cada avião montado e até hoje, sei detalhes de aviões que só quem montou um de verdade, ou um colecionador de Revell sabem.
Ainda tenho alguns montados, alguns destruidos, outros recomprados e pelo menos 80 na caixa, esperando para serem montados. Hoje não tenho mais tempo, infelizmente. Sempre prometo a mim mesmo que vou voltar a me dedicar ao plastimodelismo, mas os inúmeros compromissos me impedem.
Mas o que tudo isso tem a ver com tudo isso ? É que hoje concluí um trabalho de pesquisa que começou na segunda-feira de carnaval - Cerca de 5 meses. Um trabalho feito com muita paciencia, trabalho de ajuste fino, exigiu planejamento, preparo e visão de micro e macro. Tambem como naquela época, um trabalho feito nas horas vagas. Quando fiz a última medida a pouco e cheguei a conclusão que os resultados estão bons, me veio a memória a sensação de um kit Revell pronto, que vai pra prateleira.
Mais que parafusos, posição do motor e pinturas, aquelas noites de montar kit Revell me ensinaram a planejar, a ver o resultado que viria, ainda que pra muitos o que se via, era um amontoado de peças.

Um comentário:

Sidney Oswaldo disse...

Muito bom o texto. Posta lá na Webkits!
Abração
Pagotto