quinta-feira, dezembro 20, 2007

Professor - Profissao do que acredita !

Acho que talvez a minha caracteristica que mais me faça passar por situações que me deixe desconfortavel é acreditar nas pessoas. Sou uma pessoa bastante crédula e sempre parto do principio que as pessoas são boas e querem o bem do próximo.

Não qualifico isso com um defeito meu, mas isso já me fez sofrer e principalmente me decepcionar com muitas pessoas. Tanto profissionalmente, quanto sentimentalmente. Seja na vida cotidiana ou até vendo televisão. Digo que não qualifico isso como defeito, uma vez que ainda prefiro acreditar que errado estão os outros de aproveitar e de querer o mal do próximo.

Dando aulas há mais de quinze anos e envolvido com ensino eu tenho que acreditar que não existem pessoas muito inteligentes nem muito burras. A inteligência é produto do esforço e não natural do individuo (calma, comentarei isso a seguir). E segundo: Todos somos capazes de mudar nossas caracteristicas natais.

Eu sei, eu sei que existem argumentos que fariam minha primeira afirmação cair por terra. Você deve conhecer pessoas muito inteligentes (eu conheço e convivi com várias) e pessoas que, digamos, são burras. Talvez você argumente que pessoas burras não existem, mas não é aí que quero chegar.

O que quero dizer é que um professor ou qualquer pessoa envolvida com educação não pode preparar uma aula achando que vai encontrar pessoas inteligentes e/ou burras em sua sala de aula. Se assim fosse as pessoas burras seriam assim rotulada a certo ponto da vida e ficariam fora de sistemas de educação para todo o sempre.

Daí decorre minha segunda afirmação: As pessoas podem mudar. Isso além de educacional é uma máxima cristã. Superar seus limites é função do aprendizado. Agora que tenho a aluna mais nova que já dei aulas - minha filha, observo como o aprendizado é doloroso. Ensiná-la a reconhecer letras foi muito fácil, ela já nasceu apta a isso, mas por exemplo, usar o peniquinho está sendo um drama.

E não tem como. Não é porque ela tem esta dificuldade e uma aptidão nata a leitura que vou deixá-la lendo livros e usando fraldas a vida toda. Ela vai ter de aprender e eu vou ter de ensinar.

Chegamos ao ponto: Há dias atrás conversando com uma professora, falavamos de uma aluna em comum que tem uma habilidade ímpar de compreender fenômenos humanos e uma dificuldade terrível de entender fenômenos exatos. Dada as minhas disciplinas serem absolutamente exatas ela ia muito mal em minhas materias e muito bem em outras. Recebe uma bolsa pra trabalhos de inclusão educacional e vai muito bem.

Eu afirmei então que acreditava que ela deveria superar esta dificuldade em exatas para ser uma melhor profissional. A minha fala foi retransmitida e chegou ao ouvido da aluna como: Ela deve mudar para um curso de humanas.

Se eu tivesse realmente afirmado isso, iria contra tudo o que acredito. E até contra minha própria historia de vida. Eu tenho uma dificuldade pessoal em memorizar coisas. Na quarta-série quase reprovei por não aprender tabuadas ! Até hoje tenho certa dificuldade nela. Compenso minha falta de memória com o raciocínio. Eu já escrevi em outro tópico que para a maioria das pessoas 3*25 = 75. Pra mim 3*25 = 3*5 + 3*20 = 75 ! Dá no mesmo, mas meu cerebro dá uma volta...

Com isso, tenho dificuldade em me lembrar de nomes de pessoas, em aprender linguas estrangeiras, acentuar palavras (este texto é exemplo) e até onde deixei o celular. Procuro resolver isso fazendo as coisas mais lentamente e pensadas.

Eu também sou extremamente timido e no entanto supero isso sempre que entro em aula. É muito pensado e sinto a timidez sempre ao meu alcance, me rondando. Mas me mantenho superando a cada dia.

Por isso, minha cara aluna Marina. Tente aprender a raciocinar de forma exata. Mesmo que vc não vá fazer Fisica. Mas simplesmente porque voce merece ser uma pessoa completa.

Dedico este POST ao RONALDO BRUNO a pessoa com inteligencia mais completa que já conheci.

Um comentário:

Daniela disse...

Tive o prazer de encaminhar o seu texto pra Marina...
Muito bom.